sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

MEU TRIBUTO PELA VIDA DE JOÃO KOLENDA LEMOS, O PASTOR, O MESTRE, O MISSIONÁRIO...

Em Fevereiro de 1994 conheci um senhor, diretor do IBAD, que dava as ordens naquela instituição, gritava com os alunos que erravam, corria de um lado para outro levando alunos ao centro, ao hospital, à rodoviária, comprando pão para o IBAD, dando aula, etc, etc, etc. 

Era o meu primeiro ano de seminarista interno. Tinha deixado a empresa de meu pai (naquela época eu era gerente de vendas da empresa de planos de saúde e pensava em ficar rico). Porém, aos pés de João Kolenda Lemos, eu aprendi diversas coisas, na teoria e principalmente na prática: humildade, fé, dependência de Deus, visão de Reino de Deus, amor pela Palavra, paixão pela justiça, apego à verdade, etc, etc, e muitos etcs. 

Foi João Kolenda Lemos, O DIRETOR, que me deu a minha primeira escala no IBAD: a de lavador de panelas. No frio de 1994,  minhas mãos doiam, doiam, só Deus sabe. Foi ele que me tirou das panelas e me colocou na escala do Telefone, eu era o mensageiro do IBAD. 

Foi João Kolenda Lemos, O PASTOR, que me ensinou a pastorear, a saber  como aplicar a disciplina de maneira justa. Foi ele que aplicou minha primeira e única disciplina no IBAD. No segundo semestre de 1994, eu e vários alunos do IBAD, pulamos, escondidos, o muro de trás do IBAD, e fomos para Taubaté, ouvir a pregação de um grande homem de Deus. O pastor João Kolenda tinha proibido de irmos para Taubaté. No outro dia, tinha um convite para ir À CASA BRANCA. Lá, ELE ME ENSINOU O QUE É AÇÃO PASTORAL. 

Foi João Kolenda Lemos, O MESTRE que me ensinou o amor pelos livros, pela biblioteca. Amor pela Bíblia e pela leitura eu já tinha, mas nas aulas de biblioteconomia, a  minha paixão pelos livros cresceu e muito. Com os seus ensinos nas aulas de Geografia Bíblica, de Teologia Pastoral, eu, respeitosamente anotava os detalhes de seus ensinos que só os que têm ouvidos espirituais conseguem perceber. 

Foi João Kolenda Lemos, O MISSIONÁRIO, que me ensinou na obra de Deus o principal objetivo não deve ser enriquecer, ter posses, ter poder e nome. Ele nunca foi rico, não usava o nome que tinha para se promover, nunca colocou o dinheiro como prioridade, pelo contrário, MUITAS DAS VEZES EU VI ELE DAR O QUE TINHA PARA ALUNOS, PARA A OBRA MISSIONÁRIA. 

Foi João Kolenda Lemos, O HOMEM DE FÉ, que me ensinou que fé é fator fundante para que Deus atue, opere e entre com providência. No meu primeiro ano, o IBAD tinha pouco dinheiro, e a sopa de franco quase que não se via o frango. Quem desejasse comer frango tinha que ser o primeiro da fila. Porém, mesmo em meio à dificuldades, Ele JAMAIS DEIXOU UM ALUNO PARAR DE ESTUDAR POR FALTA DE DINHEIRO.  Eu mesmo foi um desses alunos, que, muitas das vezes, com a falta de dinheiro até para sair de Pinda, ele me permitiu ficar no IBAD, nas férias de julho, de dezembro, janeiro e fevereiro, para pagar a mensalidade. Por isso eu não desisti de estudar.

Foi João Kolenda Lemos, O HOMEM DE DEUS,  que mais do que ninguém soube separar instituição de obra de Deus. Para ele, as pessoas tinham mais valor do que a instituição IBAD, por isso, ele jamais colocou o IBAD acima dos alunos, acima das pessoas, ele sempre valorizou gente, ovelha, obreiros. 
Foi João Kolenda Lemos, O PREPARADOR DE OBREIROS, que deixou enraizado em meu espírito que um dos maiores objetivos do homem de Deus é PREPARAR OBREIROS PARA LEVAR AVANTE O SEU ENSINO.  Ele lutava pela excelência, não aceitava trabalho mal feito, ação sem compromisso. Por isso eu me dediquei, mais do que muitos, para buscar a excelência. Enquanto muitos alunos liam só um livro, ou dois, para fazer um trabalho, eu lia dez, 12. Lutei para fazer o melhor possível para a obra de Deus. 

Ele ensinou e viveu humildade, perseverança, fé, compaixão, benignidade, coragem, etc, etc. 

A, eu não poderia me esquecer de JOÃO KOLENDA, O PAI.  Eu fui aluno nos últimos anos de João Kolenda como diretor do IBAD, e posso dizer que conheci o João Kolenda, o pai. Depois dessa época (1994 e 1995), os alunos não tiveram o privilégio de conhecer esta característica do patriarca Kolenda, por isso eu sou privilegiado. Ele pensava em tudo: o sustento dos alunos; os remédios na farmácia do IBAD; a saúde de seus educandos; etc.Poucos tiveram o privilégio de serem cuidados pelo João Kolenda Lemos. Quando eu falo, cuidado, é cuidado mesmo, porque ele não era somente o diretor do IBAD, ele agia como PAI DOS IBADIANOS. 

Por tudo isso, em 2010, eu fui o autor da homenagem do Comitê da Mobilização Social Pela Educação de Pinda, ao pastor João Kolenda Lemos (ver foto abaixo). A foto acima, mostra eu e minha esposa, Maria Rosa, com o patriarca Kolenda, no auditório da FAPI (Faculdade de Pinda), local da homenagem.  


Aquela homenagem foi muito pouco diante do que o pastor João Kolenda Lemos representa para mim, para meu ministério, para minha família. Por isso, eu só posso, agora, RENDER UM TRIBUTO A DEUS PELA VIDA DO PASTOR JOÃO KOLENDA LEMOS, MEU MESTRE, MEU SEGUNDO PAI.  

Oro a Deus para que levante homens como João Kolenda Lemos, O FUNDADOR, O VISIONÁRIO, aquele que deu um outro rumo à Teologia no Brasil, especialmente às Assembleias de Deus.

Abaixo está a última foto que tirei com o  pastor Kolenda, em 23 de junho de 2012, no pátio da Assembléia de Deus, Belém. 

João Kolenda se foi, mas eu, João Moreno fico, para fazer oh Deus, a tua vontade.  Você, que lê este tributo, permanecerá, para lutar em favor da obra, da verdade, da salvação de almas. 

A DEUS TODA A GLÓRIA. 

João Moreno de Souza Filho. 


domingo, 2 de dezembro de 2012

O ENCONTRO DO PALÁCIO DO PLANALTO COM O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL


Gostei tanto do texto abaixo que decidi reproduzí-lo na íntegra. 

"O sorriso e o esgar". Por Augusto Nunes

A foto de Dida Sampaio é mais que o registro do momento em que Dilma Rousseff, presidente da República há quase dois anos, cumprimentou o ministro Joaquim Barbosa, que acabara de assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal. A imagem documenta a colisão frontal, estridentemente silenciosa, entre sentimentos antagônicos.

O chefe do Poder Judiciário es
tá feliz. A chefe do Poder Executivo está contrafeita, nas fímbrias da amargura. Joaquim Barbosa é o anfitrião de uma festa. Dilma Rousseff é a conviva involuntária que nada tem a festejar. Ele se sente em casa e pensa no que fará. Ela pensa no que ele anda fazendo e se sente obrigada a enviar um recado fisionômico aos condenados no julgamento do mensalão: se pudesse, estaria longe dali.

Só ele sorri. O sorriso contido informa que o ministro não é homem de exuberâncias e derramamentos. Mas é um sorriso. Os músculos faciais se distenderam, os dentes estão expostos, o movimento da pálpebra escava rugas nas cercanias do olho esquerdo. O que se vê no rosto da presidente é um esgar. A musculatura contraída multiplica os vincos na face direita, junta os lábios num bico assimetricamente pronunciado e desvia o olhar do homem à sua frente.

O descompasso das almas é sublinhado pelas mãos que não se apertam. A dele ao menos se abre. A dela, nem isso. Dilma apenas toca Joaquim com a metade dos quatro dedos. Ele cumprimenta como quem chegou. Ela cumprimenta como quem não vê a hora de partir.

Conjugados, tais detalhes sugerem que, se Joaquim Barbosa sabe que chefia um dos três Poderes independentes, Dilma Rousseff imagina chefiar um Poder que dá ordens aos outros. O julgamento do mensalão já deixou claro que não é assim. A maioria dos ministros é imune a esgares. Os que temem carrancas nem precisam disso para atender aos interesses do governo. Não são juízes. São companheiros.

O QUE O LULA TEM A VER COM A SECA NO NORDESTE?

 O Nordeste enfrenta uma das piores secas, porém, porém...
 AS OBRAS PARA A TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO ESTÃO PARADAS.   
 E O QUE O LULA TEM A VER COM ISSO?
 Em seu governo teve início as obras para a transposição do São Francisco que foram anunciada como "a salvação para o Nordeste."
 Porém...As obras que começaram em 2007, com o valor estimado em R$ 4,5 bilhões, já custam, hoje, mais de R$ 8 bilhões. 
 Porém... AS OBRAS ESTÃO PARADAS, NO EIXO LESTE...
 E Lula não foi na região dá satisfação aos nordestinos que sofrem com a seca;
 O PT, não foi ao Nordeste, após as eleições presidenciais de 2010, pedir paciência ao povo nordestino.
 O povo do Nordeste precisa se conscientizar e não só votar no PT, mas cobrar mais respeito.

POLÍTICA X IGREJA


QUERO COMPRAR O LIVRO DECIFRANDO OS CÓDIGOS DO MAL

Código para o site